Amor Sem Escalas

Com o sinal do canal Telecine aberto pela OITV até dia 20 de fevereiro e colocando minha maratona de filmes em prática não pude deixar de assistir o filme “Amor Sem Escalas”… abaixo informações do filme…

 

Amor Sem Escalas

SINOPSE

Profissional especializado em “conselhos para transição de carreira” (eufemismo para pessoas desempregadas) tenta alcançar seus dois projetos de vida: acumular um milhão de pontos em milhas aéreas e arranjar um emprego numa misteriosa companhia chamada MythTech.

LOCAIS DE FILMAGEM

  • Affton High School, Affton, Missouri, EUA
  • Detroit Metropolitan Wayne County Airport, Michigan, EUA
  • Detroit, Michigan, EUA
  • Lambert International Airport – 10701 Lambert International Boulevard, St. Louis, Missouri, EUA
  • Las Vegas, Nevada, EUA
  • Miami, Flórida, EUA
  • Omaha, Nebraska, EUA
  • St. Louis, Missouri, EUA

PRÊMIOS/INDICAÇÕES

Directors Guild of America – 2010

Categoria: Direção (Outstanding Directorial Achievement in Motion Pictures)

  • Indicado, Jason Reitman

Globo de Ouro – 2010

Categoria: Atriz Coadjuvante

  • Indicado, Vera Farmiga
  • Indicado, Anna Kendrick

Categoria: Cinema – Ator – Drama

  • Indicado, George Clooney

Categoria: Cinema – Filme – Drama

  • Indicado

Categoria: Melhor Diretor

  • Indicado, Jason Reitman

Categoria: Roteiro

  • Vencedor, Jason Reitman
  • Vencedor, Sheldon Turner

Oscar – 2010

Categoria: Ator

  • Indicado, George Clooney

Categoria: Atriz Coadjuvante

  • Indicado, Vera Farmiga
    A atriz foi indicada com sua colega de elenco Anna Kendrick.
  • Indicado, Anna Kendrick
    A atriz foi indicada com sua colega de elenco Vera Farmiga.

Categoria: Direção

  • Indicado, Jason Reitman

Categoria: Filme

  • Indicado, Daniel Dubiecki
  • Indicado, Ivan Reitman
  • Indicado, Jason Reitman

Categoria: Roteiro Adaptado

  • Indicado, Jason Reitman
  • Indicado, Sheldon Turner

Screen Actors Guild (SAG) – 2010

Categoria: Ator

  • Indicado, George Clooney

Categoria: Atriz Coadjuvante

  • Indicado, Vera Farmiga
  • Indicado, Anna Kendrick

FRASES EM INGLÊS

Ryan Bingham : How much does your life weigh? Imagine for a second that you’re carrying a backpack. I want you to pack it with all the stuff that you have in your life… you start with the little things. The shelves, the drawers, the knickknacks, then you start adding larger stuff. Clothes, tabletop appliances, lamps, your TV… the backpack should be getting pretty heavy now. You go bigger. Your couch, your car, your home… I want you to stuff it all into that backpack. Now I want you to fill it with people. Start with casual acquaintances, friends of friends, folks around the office… and then you move into the people you trust with your most intimate secrets. Your brothers, your sisters, your children, your parents and finally your husband, your wife, your boyfriend, your girlfriend. You get them into that backpack, feel the weight of that bag. Make no mistake your relationships are the heaviest components in your life. All those negotiations and arguments and secrets, the compromises. The slower we move the faster we die. Make no mistake, moving is living. Some animals were meant to carry each other to live symbiotically over a lifetime. Star crossed lovers, monogamous swans. We are not swans. We are sharks.

Ryan Bingham : (on getting through airport security) Never get behind old people. Their bodies are littered with hidden metal and they never seem to appreciate how little time they have left. Bingo, Asians. They pack light, travel efficiently, and they have a thing for slip on shoes. Gotta love ‘em.
Natalie Keener : That’s racist.
Ryan Bingham : I’m like my mother, I stereotype. It’s faster.

Ryan Bingham : (End of closing monologue) The stars will wheel forth from their daytime hiding places; and one of those lights, slightly brighter than the rest, will be my wingtip passing over.

Natalie Keener : Hungry much?
Ryan Bingham : Our business expense allots forty dollars each for dinner. I plan on grabbing as many miles as I can.
Natalie Keener : Okay, you got to fill me in on the miles thing. What is that about? You’re talking about, like, frequent flyer miles?
Ryan Bingham : You really want to know?
Natalie Keener : I’m dying to know.
Ryan Bingham : I don’t spend a nickel, if I can help it, unless it somehow profits my mileage account.
Natalie Keener : So, what are you saving up for? Hawaii? South of France?
Ryan Bingham : It’s not like that. The miles are the goal.
Natalie Keener : That’s it? You’re saving just to save?
Ryan Bingham : Let’s just say that I have a number in mind and I haven’t hit it yet.
Natalie Keener : That’s a little abstract. What’s the target?
Ryan Bingham : I’d rather not…
Natalie Keener : Is it a secret target?
Ryan Bingham : It’s ten million miles.
Natalie Keener : Okay. Isn’t ten million just a number?
Ryan Bingham : Pi’s just a number.
Natalie Keener : Well, we all need a hobby. No, I- I- I don’t mean to belittle your collection. I get it. It sounds cool.
Ryan Bingham : I’d be the seventh person to do it. More people have walked on the moon.
Natalie Keener : Do they throw you a parade?
Ryan Bingham : You get lifetime executive status. You get to meet the chief pilot, Maynard Finch.
Natalie Keener : Wow.
Ryan Bingham : And they put your name on the side of a plane.
Natalie Keener : You guys don’t grow up. It’s like you need to pee on everything.

Natalie Keener : He broke up with me by text message.
Ryan Bingham : Wow. That’s kind of like getting fired over the Internet.

Flight Attendant : Would you like the cancer?
Ryan Bingham : What?
Flight Attendant : Would you like the can, sir?

Ryan Bingham : I thought I was a part of your life.
Alex Goran : I thought we signed up for the same thing… I thought our relationship was perfectly clear. You are an escape. You’re a break from our normal lives. You’re a parenthesis.
Ryan Bingham : I’m a parenthesis?

CRÍTICA

Diretor de Juno volta para nova comédia dramática

Marcelo Forlani

Quem não sabe que Amor Sem Escalas (Up In The Air, 2009) é uma adaptação de um livro lançado em 2001 pode achar que filme é datado, criado para este momento de crise econômica. Nada mais justo, afinal seu protagonista é Ryan Bingham (George Clooney), um Conselheiro de Transições de Carreira. Resumindo, ele é um executivo contratado por empresas desesperadas que precisam mandar pessoas embora, mas não têm coragem de sujar suas mãos e fazer isso elas mesmas. Ele é o cara que vai chegar sem ser anunciado, se sentar numa sala reservada e começar a chamar as pessoas que serão dispensadas. As reações, claro, vão do desdém ao desespero, passando por choro e ameaças de morte.

O atual cenário financeiro realmente deixa o filme bastante atualizado, mas ela é apenas pano de fundo para algo completamente atemporal: o comportamento humano. Depois de anos fazendo este trabalho, Bingham desenvolveu técnicas eficientes. Em sua mente já há um roteiro do que fazer em cada situação com respostas prontas e bem ensaiadas. Tudo para tornar o processo o mais humano possível, mostrando ao recém-desempregado que ele pode aproveitar aquele momento triste e tirar proveito para mudar sua vida, recomeçar. A cara de cachorro abandonado que Clooney faz ao levantar suas sobrancelhas e a sua voz sussurrada são ideais para o papel (e para manter as mulheres apaixonadas por ele).

Viajando de um lado para outro dos Estados Unidos, revezando check-ins de aeroportos e hotéis, Bingham tornou-se metódico e impessoal (suas dicas de como sobreviver em aeroportos valem ouro!). Seu único hobby é acumular milhas. Aliás, mais do que um hobby, é uma obsessão. Não há uma azeitona que não vire milhagem. Suas experiências na estrada serviram também de inspiração para uma palestra motivacional para outros executivos. Nela, Bingham prega que você deve viver apenas com aquilo que não é um peso em seus ombros, deixando de lado até mesmo família, amigos e casa.

Porém, duas mulheres entram em suas vidas. Quem vem primeiro é Alex (Vera Farmiga), uma versão de saias do próprio Bingham, que passa mais tempo viajando do que na sua casa, em Chicago. Igualmente sem comprometimentos, os dois abrem seus notebooks e começam a agendar encontros entre voos e trocar mensagens pelos seus blackberries. A outra é Natalie (Anna Kendrick), uma jovem recém-saída da faculdade que chega para implementar um sistema que possibilita demitir as pessoas usando videoconferência, um toque ainda mais impessoal ao processo.

Isso é tudo o que o diretor Jason Reiman (Juno, Obrigado Por Fumar) e o roteirista Sheldon Turner precisam para começar a mostrar os sentimentos escondidos (ou deveríamos dizer controlados?) do seu protagonista. Com Alex, Bingham revisita sua infância e acaba em um casamento. Com Natalie, mostra todo o seu profissionalismo que no início se confundia com uma falta de humanidade.

O título nacional pode dar a impressão de uma comédia romântica. Mas Amor Sem Escalas é mais do que isso. Há, sim elementos cômicos e algum romance no ar, mas há também toda a dramaticidade que vem de carona no emprego de Bingham. Pode até não ser o filme da sua vida, mas é um filme que certamente vai te fazer parar e pensar no que você está fazendo com sua vida.

*A imagem ilustrativa deste post retirei do site http://natxy.com/imagens/capa_filmes/a/filme_amor_sem_escalas.jpg através de pesquisa na internet.
*A sinopse do filme, locais de filmagem, prêmios/indicações e frases em inglês  retirei do site http://www.epipoca.com.br/filmes_detalhes.php?idf=22113 através de pesquisa na internet.
*A crítica do filme retirei do site http://www.omelete.com.br/cinema/critica-amor-sem-escalas/ através de pesquisa na internet.

Sobre maryalcantaras

Sou uma pessoa calma e bastante tímida. Não costumo sair muito e por isso vivo na internet. Sou bem eclética em questões referentes a preferências... adoro ler, ouvir música, dançar e tomar umas biritas de vez em quando... mas o que eu adoro mesmo é DORMIR e BEIJAR!!! Meu hobbie é DORMIR. Me interesso por coisas variadas, gosto tanto de coisas simples quanto de coisas rebuscadas. "O Amor conquista-se com Amor e não impondo regras." (A.D.) E talvez tenha de praticar um pouco mais a minha tolerância...
Esse post foi publicado em Cinefilia/Cinéfilo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s