Quase Deuses

Assisti este filme duas vezes durante minhas férias e não via a hora de postar sobre ele aqui no Spaces… só tenho uma palavra para descrevê-lo – EMOCIONANTE! Baseado em fatos reais mostra a atuação de duas mentes brilhantes no desenvolvimento de uma técnica revolucionária na cirurgia cardíaca. Só que uma delas não é médico, é um negro em plena ebulição da segregação racial nos EUA da década de 50… vale a pena assistir…
 
QUASE DEUSES
Something the Lord Made
 
Sinopse
 
Nashville, 1930. Vivien Thomas (Mos Def) é um hábil marceneiro, que tinha um nome feminino pois sua mãe achava que teria uma menina e, quando veio um garoto, não quis mudar o nome escolhido. Ele é demitido quando chega a Grande Depressão, pois estavam dando preferência para quem tinha uma família para sustentar. A Depressão o atinge duplamente, pois sumiram as economias de 7 anos, que ele guardou com sacrifício para fazer a faculdade de medicina, pois o banco faliu. Thomas consegue emprego de faxineiro, trabalhando para Alfred Blalock (Alan Rickman), um médico pesquisador que logo descobre que ele tem uma inteligência privilegiada e que poderia ser melhor aproveitado. Blalock acaba se tornando o cirurgião-chefe na Universidade Johns Hopkins, onde está pesquisando novas técnicas para a cirurgia do coração. Os dois acabam fazendo um parceria incomum e às vezes conflitante, pois Thomas nem sempre era lembrado quando conseguiam criar uma técnica, já que não era médico.
 

RESENHA CRÍTICA DO FILME "QUASE DEUSES"   
por Rodolfo Lima – Jornalista, ator e crítico de cinema –
e-mail: dicaspravaler@yahoo.com.br


QUASE DEUSES (Foto Divulgação)

Quase Deuses

"Acho que um dos principais motivos de se fazer um filme desses é imortalizar pessoas que têm a coragem de correr riscos" – Mary Stuart Marterson

CRÍTICA – QUASE DEUSES – O titulo original é "Something the lord made", a história real de Viven Thomas foi produzido em 2004 pela HBO, foi indicado ao Globo de Ouro como melhor minissérie ou filme feitos para a tv e rendeu uma indicação ao ator Mos Def. Levou o Emmy de melhor filme para a tv. É o tipo de filme que passa completamente despercebido se você não arriscar a ler a sinopse.
Mos Def e Alan Rickman, interpretam a história real de Viven Thomas e Alfred Blalock, responsáveis pela primeira cirurgia feita no coração – antes disso o órgão era visto como algo intocável pela medicina – que corrigia um erro de percurso numa das veias do coração que ocasionava problema de oxigenação no pulmão e a falência do individuo.
Estamos nos Estados Unidos, em plena década de 30, após a grande depressão americana. Vivien é negro, sonha em cursar uma faculdade, casar e se tornar médico. Alfred é um médico ambicioso, com certo reconhecimento na profissão, que testa em animais, técnicas para poder fazer a diferença e se sobressair perante os outros pesquisadores da área médica. O primeiro é um jovem carpinteiro e negro que vai trabalhar como ajudante no laboratório do segundo.
Sim, o conflito racial está implícito, não foi escancarado pelo roteiro, embora seja está a razão primordial do filme. Mostrar que a ignorância e o preconceito racial, pode ter castrado bons profissionais que fariam diferença, caso tivessem tido uma chance. Os militantes que lutam em prol pelas cotas de negros na universidade, terá em mãos – caso alugue o filme – um argumento incontestável.
Só no estados unidos hoje é realizada 1.750.000 cirurgias cardíacas por ano. O filme soa ralentado e quadrado. A história poderia ter sido contada com mais ousadia e agilidade. Mais a falta de tais características não desmerece um filme que poderá levá-lo as lágrimas. Comprove.

Título Original: Something the Lord Made
Gênero: Drama
Duração: 110 min.
Ano: EUA – 2004
Distribuição: HBO
Direção: Joseph Sargent
Roteiro: Robert Caswell e Peter Silverman


Cena do Filme QUASE DEUSES (Foto Divulgação)


*A imagem ilustrativa deste post retirei do wordpress http://totalcine.files.wordpress.com/2009/02/quase_deuses_poster_01.jpg através de pesquisa na internet.

*As informações sobre o filme retirei do site http://www.interfilmes.com/filme_16438_Quase.Deuses-(Something.the.Lord.Made).html através de pesquisa na internet.

*A resenha crítica do filme "Quase Deuses" retirei do site http://www.cranik.com/quasedeuses.html através de pesquisa na internet.

Sobre maryalcantaras

Sou uma pessoa calma e bastante tímida. Não costumo sair muito e por isso vivo na internet. Sou bem eclética em questões referentes a preferências... adoro ler, ouvir música, dançar e tomar umas biritas de vez em quando... mas o que eu adoro mesmo é DORMIR e BEIJAR!!! Meu hobbie é DORMIR. Me interesso por coisas variadas, gosto tanto de coisas simples quanto de coisas rebuscadas. "O Amor conquista-se com Amor e não impondo regras." (A.D.) E talvez tenha de praticar um pouco mais a minha tolerância...
Esse post foi publicado em Cinefilia/Cinéfilo e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Quase Deuses

  1. Noiva disse:

    Quase Deuses é um drama baseado em fatos reais… é um filme que também bebe da medicina. Quase Deuses é um filme inteligente, belo, dramático e espetacular! A atuação de Alan Rickman como sempre, está ótima e a atuação de Mos Def também. É um filme para se ver e se emocionar, que mostra que os grandes avanços da medicina para achar curas para diversas doenças se deve ao poder de Deus. Além disso, é um filme altamente espiritual, com um simbolismo religioso que dá para perceber.

  2. jessica guedes disse:

    Adorei o filme muito bacana..

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s