Evocando Espíritos e Ele não está tão a fim de você

 
Aproveitando a noite de segunda feira livre por conta do feriado de Tiradentes resolvi ir ao Independência Shopping conhecer as salas de cinema do UCI Kinoplex, ainda mais que na segunda a entrada pra estudante é R$ 2,00!!!
 
Assisti a estes filmes e recomendo…
 
EVOCANDO ESPÍRITOS
 
"Evocando Espíritos" se equilibra entre o drama familiar e o terror
 
Casas mal-assombradas são algumas das principais fontes para roteiros de filmes de terror. O gênero está repleto de produções em que os personagens passam por um verdadeiro calvário ao enfrentar toda a sorte de aparições demoníacas, como em "Terror em Amityville" (de 1979) e "Poltergeist" (1982), para falar apenas dos mais famosos. 

Em "Evocando Espíritos", o jovem Matt (Kyle Gallner) sente as estranhas presenças em sua nova casa

A inspiração repete-se em "Evocando Espíritos", estreando em circuito nacional, que se baseia numa história supostamente verdadeira, ocorrida na cidade de Southington, em Connecticut (EUA), relatada pela família Snedeker.

Tudo começa quando a família, que no filme se chama Campbell, vai morar numa casa que, anos antes, foi sede de uma funerária. A despeito de crendices, e pelo baixo custo do aluguel (como todas as casas infestadas por fantasmas), a família decide ficar no local.

Logo ao chegar, o jovem Matt (Kyle Gallner) começa a sentir as estranhas presenças na casa. O adolescente está em meio a um tratamento experimental contra câncer, que pode colateralmente produzir alucinações. Por isso, ele não conta a sua mãe Sara (Virginia Madsen, de "Número 23") nada sobre o que vê.

Aos poucos, o espectador começa a perceber que os antigos donos da funerária faziam mais do que preparar os mortos para o enterro. As visões de Matt passam a ser os últimos dias do jovem Jonah (Erik J. Berg), que participava das mais assustadoras práticas de satanismo realizadas dentro da casa.

   

Com um bom elenco, "Evocando Espíritos" equilibra-se bem entre o drama familiar e o terror. O filme perde, porém, em seu desfecho exagerado e confuso. Esperava-se mais do roteirista Adam Simon, diretor de "The American Nightmare" (2000), documentário que analisa como os filmes de terror das décadas de 1960 e 1970 se refletiram na sociedade americana.

Para quem quiser conhecer o verdadeiro relato sobre a família Snedeker, além de documentários de TV, pode procurar o livro "In A Dark Place: The Story of a True Haunting" (1992, sem tradução para o português), de Ray Garton. Em tempo: o próprio autor nunca acreditou na história.

(Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)

ELE NÃO ESTÁ TÃO A FIM DE VOCÊ

Uma menininha gosta de um menininho. Enquanto ela brinca na areia do parque olhando para ele, o menino vem, a empurra no chão e começa a xingá-la. Ela vai chorar para a mãe que fala para a filha que o tal menininho só agiu assim porque, na verdade, gosta dela. É sobre essa ilusão masoquista que o filme Ele Não Está Tão a Fim de Você trata.

Acompanhamos a vida de cinco mulheres que, como outras, se enganam e procuram sinais inexistentes para dar esperanças a algo que não existe. Gigi é desesperada e ansiosa e tudo que quer é arrumar um naorado, Anna é uma sedutora professora de Yoga e se apaixona por um homem casado no supermercado, Beth vive com o namorado há sete anos e quer se casar, Janine é casada mas está sendo traída pelo marido e Mary só arruma namorados virtuais.

Adaptado do um livro de auto-ajuda "Ele Simplesmente Não Está a Fim de Você", escrito por Greg Behrendt e Liz Tuccillo (consultor e editora da história do seriado "Sex and the City", respectivamente), o filme está muito dentro deste campo literário que faz muito sucesso e enriquece autores que põe no papel aquilo tudo que estamos cansados de saber.

Mas, preconceitos pessoais quanto a produção do gênero à parte, o filme tem alguns momentos bem divertidos e acaba fisgando o público com, justamente, passagens que se não aconteceram com você, aconteceram com alguém bem próximo.

Apesar dos nomes estrelares do elenco, algumas atuações não conseguem passar da temperatura morna e Ben Affleck parece ter piorado, se é que isso é possível. Quem mais se destaca são os menos conhecidos Ginnifer Goodwin e Justin Long que mesmo fazendo um filme com tantas histórias conseguem fazer o público se dedicar à deles.

A trilha sonora incidental é bem interessante e, seguindo o padrão das comédias românticas, o momento "suspiros" é um sucesso, apesar da duração excessiva.

Como qualquer livro de auto-ajuda, é a produção mais assistida essa semana nos cinemas nacionais mas eu espero, de todo meu coração, que adaptações do gênero não virem uma praga do cinema.

Um bom programa para meninas apaixonadas e casais idem. Diferente de outros filmes do gênero, os meninos vão se sentir mais confortáveis.

Mas não deixa de ser um filme descartável. Daqueles que a gente vê hoje e na semana seguinte já esqueceu.

No site oficial, Kevin Connolly, Bradley Cooper e Justin Long fazem uma lista de dez clichês de filmes "para mulherzinhas" que não estão em Ele Não Está Tão a Fim de Você. Imperdível.

   


*As informações do filme "Evocando Espíritos" retirei do site http://cinema.uol.com.br/ultnot/2009/04/16/ult26u28154.jhtm através de pesquisa na internet.

*As informações sobre o filme "Ele Não Está Tão a Fim de Você" retirei do site http://www.cenasdecinema.com/2009/04/ele-nao-esta-tao-fim-de-voce.html através de pesquisa na internet.

Sobre maryalcantaras

Sou uma pessoa calma e bastante tímida. Não costumo sair muito e por isso vivo na internet. Sou bem eclética em questões referentes a preferências... adoro ler, ouvir música, dançar e tomar umas biritas de vez em quando... mas o que eu adoro mesmo é DORMIR e BEIJAR!!! Meu hobbie é DORMIR. Me interesso por coisas variadas, gosto tanto de coisas simples quanto de coisas rebuscadas. "O Amor conquista-se com Amor e não impondo regras." (A.D.) E talvez tenha de praticar um pouco mais a minha tolerância...
Esse post foi publicado em Cinefilia/Cinéfilo e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Evocando Espíritos e Ele não está tão a fim de você

  1. Noiva disse:

    O primeiro filme não faz meu genero…Mas assisti "Ele não está tão afim de você" e me lembrei de uma frase de alguém, não me lembro de quem, que disse que nenhum relacionamento pode dar certo porque sempre uma pessoa gosta mais do que a outra.E sei que para as pessoas que gostam de chorar assistindo filmes romântico, chegou mais um. Além de contar com só com feras no elenco do filme como Ben Affleck; Drew Barrymore; Jennifer Aniston; Jennifer Connelly; Scarlett Johansson.Agora quero ler o livro em que o filme foi baseado, um livro de auto-ajuda de Greg Behrendt e Liz Tuccillo.Ou seja, eu também recomendo o filme!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s