Dia Mundial da Prevenção e Luta contra o Câncer

 
"Ainda sem perspectiva de cura para a maioria dos tipos, as estatísticas de casos de câncer e de número de óbitos provocados pela doença não param de crescer. Somente este ano, o Ministério da Saúde estima que cerca de 117 mil pessoas vão morrer vítimas de algum tipo de tumor maligno".

Introdução

O dia 27 de novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer, não é uma data para ser comemorada. Segundo estimativas do Ministério da Saúde, até o final desse ano, serão registrados no País cerca de 305 mil novos casos de câncer. Ao todo, 117 mil pessoas vão morrer vítimas da doença, que é a segunda maior causa de mortes no Brasil, só perdendo para os problemas cardiovasculares.

O câncer de mama ocupa o primeiro lugar no ranking, com 31.590 casos. Em seguida vem o câncer de estômago, com 22.330, e o de pulmão fica em terceiro lugar, com 20.835 ocorrências. O câncer de próstata também é um dos mais preocupantes e está em quarto lugar, com 20.820 casos. O de colo de útero tem 16.270 ocorrências.

Embora o câncer de mama lidere o ranking do número de casos, o de pulmão está no topo da lista em número de óbitos. Somente este ano serão 15.145 mortos. Em seguida vêm as vítimas de tumores de estômago (10.765 mortos), mama (8.670 mortos), próstata (7.320 mortos) e intestino (7.230 mortos).

Prevenir é o Grande Desafio

Segundo André Murad, coordenador do Serviço de Oncologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia, a grande dificuldade brasileira para enfrentar o câncer é despertar a consciência da população e classe médica para a importância da prevenção. Ele explica que todas essas modalidades de câncer que registram o maior número de casos e de óbitos são preveníveis e que o Brasil conseguiria reduzir consideravelmente a marca apenas adotando medidas simples.

A maioria dos cânceres que estão relacionados à dieta pode ser prevenida, assim como pode ser prevenida a totalidade dos cânceres causados por tabagismo e pelo uso de bebida alcóolica.

Exames específicos conduzidos regularmente por profissionais de saúde também são importantes quando o assunto é prevenção. Nesses exames simples podem ser detectados câncer de mama, de colo de útero, reto, próstata, testículo, língua, boca e pele, entre outros.

O auto-exame de mama e de pele também é um importante aliado e pode resultar num diagnóstico precoce da doença. A prática do sexo seguro entra na lista das medidas mais importantes para combater o câncer de colo de útero, prevenindo 80% dos casos.

Principais Fatores de Proteção

Qualquer pessoa está sob o risco de desenvolver o câncer. Como a ocorrência aumenta com a idade, a maioria dos casos acontece com os mais velhos. Entretanto, o surgimento do câncer está relacionado à exposição ao risco e é nesse aspecto que cada pessoa pode contribuir para evitá-lo.

Para os tumores malignos de mama e de estômago, uma alimentação correta seria o melhor fator de proteção. Segundo Murad, dietas pobres em verduras e frutas, facilitam a proliferação de bactérias extremamente nocivas ao organismo e que acabam danificando as células. "Brócolis, couve-flor e repolho, por exemplo, possuem o chamado Indol, um grupo de substâncias ricas em vitaminas C e E e do Betacaroteno (vitamina A), que previnem o câncer".

Embora a literatura médica ainda não tenha dado o parecer definitivo sobre a influência do tipo de dieta no surgimento do câncer de mama, sabe-se que a obesidade está relacionada a ele. "Por isso, por conclusão, podemos dizer que a alimentação correta previne o câncer de mama. Mulheres que se exercitam pelo menos três vezes por semana e cuidam da alimentação têm 30% menos de chance de desenvolver a doença", diz. A má alimentação também predispõe ao câncer de intestino, endométrio, próstata e vesícula biliar.

Para Murad, as terapias de reposição hormonal também aumentam as chances de surgimento do câncer de mama, razão pela qual devem ser evitadas. Segundo ele, a terapia só deve ser feita nas mulheres que têm indicação expressa. Mesmo assim, deve haver um rastreamento para detectar lesões suspeitas, controle médico rigoroso e a realização de mamografias a cada ano.

O câncer de mama é o mais temido entre as mulheres e representa uma das principais causas de morte das mesmas nos países ocidentais.

O tabagismo é o principal fator de risco para o câncer de pulmão, sendo responsável por 90% dos casos. Combater o tabagismo é o principal desafio para evitar essa doença. Segundo Murad, os fumantes devem fazer controle periódico do pulmão. Para isso existe a tomografia em espiral, que consegue detectar a doença no início e reduzir a mortalidade.

Também existem drogas reconhecidamente ativas que podem ajudar no processo de combate ao vício. É o caso da Bupropiona que reduz o vício em 42%. O álcool também deve ser combatido porque ele potencializa o surgimento da doença.

Muitos casos de câncer de estômago poderiam ser evitados se as pessoas levassem mais em conta sinais de algum problema no organismo. Murad explica que muitas pessoas se sentem incomodadas por asias, má digestão e indisposição e acham que se trata de problemas comuns, sem maiores conseqüências. "A pessoa chega a tomar medicamentos sem procurar o médico. O remédio, muitas vezes, acaba cicatrizando uma úlcera maligna, a pessoa considera que sarou e a doença avança", orienta. Por isso, Murad recomenda que, para qualquer desarranjo que persistir por mais de 15 dias, deve-se fazer uma endoscopia. A segunda medida é receber antibiótico para matar a bactéria.

O câncer de próstata representa um sério problema de saúde pública, em função de suas altas taxas de incidência e de mortalidade. A principal causa da mortalidade é o diagnóstico tardio, que favorece a invasão e a disseminação rápida para outros órgãos.

O exame periódico com o toque retal ainda é a melhor maneira de prevenir ou detectar precocemente o câncer de próstata. A partir dos 45 anos de idade, o homem deve fazer o exame regularmente. Nesse exame são avaliados a próstata, o reto e o intestino. Segundo Murad, cerca de 22% dos cânceres de intestino podem ser alcançados pelo dedo e detectados mais cedo com o toque retal.

O câncer de colo do útero é o segundo mais comum na população feminina, só sendo superado pelo de mama. Provocado principalmente pela presença do vírus HPV, que é sexualmente transmissível, a prevenção desse tipo de câncer está intimamente ligada à prática do sexo seguro. O rastreamento através de exame preventivo também é fundamental.

"Entre as primeiras lesões e o desenvolvimento do câncer propriamente dito, muitas vezes decorrem até 12 anos. Por isso, o exame ginecológico e o papanicolau são tão importantes", ressalta Murad. Os exames devem começar com o início da vida sexual.

Entretanto, como existe um tipo de câncer de colo de útero que não está relacionado ao HPV, mesmo as mulheres que não têm relação sexual têm que fazer o exame.

Perspectivas para o Futuro

Com a maioria dos tumores ainda sem cura e com os efeitos colaterais provenientes dos tratamentos que são empregados atualmente, o câncer ainda é um grande desafio para a ciência e para a medicina. Entretanto, a expectativa dos especialistas é de que o tratamento do câncer sofra uma mudança radical dentro dos próximos anos.

Segundo André Murad, os tratamentos existentes atacam as células afetadas mas atingem as normais. Mas já começa a aparecer uma luz no fim do túnel. O desenvolvimento da genética e da biologia molecular trazem boas perspectivas e a ciência está mapeando as células para descobrir as diferenças entre uma doente e uma saudável. "Isso ajuda a desenvolver substâncias para anular as proteínas que alimentam as células cancerosas. Sem essas proteínas as células doentes não resistem e morrem sem que as normais sejam afetadas", explica

Duas dessas drogas já estão sendo testadas no Brasil. São a Ireffa e Tarceva, que estão sendo utilizadas no tratamento do câncer de pâncreas e de pulmão com bons resultados. Elas agem na proteína e matam as células cancerosas sem qualquer efeito na célula normal. Os resultados desse estudo serão publicados dentro de dois ou três anos.

Mas o próprio tratamento convencional já apresenta avanços significativos, na opinião de Murad. Ele explica que a quimioterapia tem utilizado drogas menos tóxicas e menos agressivas ao organismo. Outra vantagem é que está sendo adotada a quimioterapia primária, principalmente nos casos de câncer de mama e de reto, fazendo com que o tumor diminua antes de uma cirurgia. Com esse procedimento a parte do corpo afetada fica preservada e não precisa ser mutilada.

Nos últimos anos também aumentaram as chances de cura de câncer de mama, linfomas, leucemias, câncer infantil e de ovário. Com os novos medicamentos, a sobrevida dos pacientes aumentou e qualidade de vida no tratamento também. As drogas para dor são menos tóxicas e melhoram a vida do paciente.

Copyright © 2001 Bibliomed, Inc.                 27 de Novembro de 2001.

 
"Os recentes e contínuos avanços no estudo das bases genéticas da carcinogênese têm produzido tentativas de extrapolar clinicamente estes conhecimentos, principalmente na forma de testes genéticos preditivos. Estima-se que cerca de 3.000 doenças decorram de mutações no genoma, apresentando potencial de serem identificadas através de exames laboratoriais sofisticados".

A revolução dos exames preventivos e testes genéticos

A segunda maior causa de mortes por razões naturais no Brasil é o câncer. Mas são os exames preventivos que alcançam nessa doença os resultados mais espetaculares. Um tumor cancerígeno na próstata dobra de tamanho a cada dois anos e, nesse curto espaço de tempo, pode sair para fora da glândula. Diagnosticado em fase inicial, tem chance de cura que varia de 70% a 90%, conforme o tratamento. Depois de ter ultrapassado os limites da glândula e se espalhado pelo corpo, é praticamente incurável. Um homem que faça exames anuais de toque retal e PSA no sangue (uma proteína indicativa de câncer) dificilmente deixará de ter o diagnóstico a tempo. Só 6% dos casos escapam à combinação dos dois testes. Há alguns anos o diagnóstico precoce só podia contar com o toque retal, que não flagra 30% dos casos.

Segundo Luiz Henrique Gebrim, oncologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) com a disseminação da mamografia anual, as mortes por câncer de mama foram reduzidas em 30%. A mamografia de alta definição, cujo uso se popularizou nesta década, é capaz de perceber tumores de meio milímetro. Antes, as imagens borradas das radiografias não permitiam identificar a maioria dos tumores com menos de 1 centímetro cúbico. Detectados nessa fase, 90% deles têm possibilidade de cura. Se ultrapassar 5 centímetros, mata 70% das pacientes.

"Desde o início do século até o momento, a postura da sociedade em geral é de acreditar que o câncer é sempre sinônimo de morte, e que seu tratamento raras vezes leva à cura", analisa o Dr. Luiz Henrique. "Atualmente, muitos tipos de câncer são curados, desde que tratados em estágios iniciais, demonstrando-se a importância do diagnóstico precoce", completa o Dr. Luiz Henrique.

A ponta-de-lança tecnológica dos exames preventivos é o exame dos genes, as microscópicas sementes protéicas do núcleo das células em que se decide o futuro biológico das pessoas. Alguns desses exames já são feitos no Brasil. Com eles é possível descobrir certas doenças às quais a pessoa está biologicamente predisposta. Isso antes mesmo que qualquer sintoma tenha tido tempo de se manifestar. Muitos tipos de câncer, por exemplo, estão comprovadamente associados a alterações em um ou mais genes. Testes genéticos para identificar propensão ao câncer de cólon, tireóide, mama, útero, ovário e próstata já estão disponíveis. Os exames são recomendados para quem tem histórico familiar da doença ou a desenvolveu em idade muito precoce. Comprovada a possibilidade, as medidas de prevenção são intensificadas e as chances de o paciente nunca vir a desenvolver a doença aumentam.

De acordo com Luiz Henrique Grebim, "Quando a propensão genética é constatada, a pessoa deve tomar precauções para prevenir a doença". Ele alerta que "Quem herdou a predisposição genética para câncer de cólon tem quase 100% de probabilidade de desenvolvê-lo e, por isso, deve submeter-se anualmente a uma endoscopia para identificar pólipos, pequenas deformações do tecido que são diligentemente extirpadas para evitar que evoluam para o câncer".

Entenda o fator genético da doença

Câncer é definido como um grupo de doenças que se caracterizam pela perda do controle da divisão celular e pela capacidade de invadir outras estruturas orgânicas. O câncer pode ser causado por fatores externos (substâncias químicas, irradiação e vírus) e internos (hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas).

Os fatores causais podem agir em conjunto ou em seqüência para iniciar ou promover o processo de carcinogênese. Normalmente, dez ou mais anos se passam entre exposições ou mutações e a detecção da doença. De acordo com doutor Gebrim, em geral o câncer não é hereditário. Existem apenas alguns raros casos que são herdados, tal como o retinoblastoma, um tipo de câncer de olho que ocorre em crianças. "No entanto, existem fatores genéticos que tornam determinadas pessoas mais sensíveis à ação dos carcinógenos ambientais, o que explica por que algumas delas desenvolvem câncer e outras não, quando expostas a um mesmo carcinógeno", explica o especialista.

O câncer é uma doença que resulta do crescimento autônomo e desordenado de células e tecidos por motivos que ainda se desconhecem. O tecido canceroso (neoplástico) apresenta uma estrutura atípica dos tecidos e órgãos de que se originou, e uma capacidade ilimitada e incontrolável de se reproduzir. Seu desenvolvimento não obedece a nenhuma finalidade útil ao organismo.

O câncer tende a disseminar-se e a lançar metástases (focos secundários, à distância) para várias partes do corpo, onde então continuam a desenvolver-se. Usa-se comumente o termo câncer como sinônimo de tumor maligno, pois o tumor benigno é de crescimento local limitado, sem capacidade de disseminação à distância e só raramente põe em risco a vida do paciente. As células cancerosas crescem por multiplicação das células dos tecidos do próprio indivíduo, sendo dotadas de extraordinária capacidade de crescimento. Falta-lhes, portanto, a limitação biológica de crescimento que caracteriza os tecidos normais.

Câncer da próstata hereditário

A freqüência do câncer da próstata aumentou de forma explosiva nos últimos anos, consternando a ciência médica e os homens em geral. A próstata, glândula localizada na base da bexiga, pode ser sede de dois processos distintos. O primeiro é o crescimento benigno, chamado de hiperplasia, que acomete quase 90% dos homens após os 40 anos e que produz dificuldade para a eliminação da urina.

O segundo é o câncer da próstata, que surge associado ou não ao crescimento benigno e que se manifesta quase sempre depois que os homens completam 50 anos. Segundo Miguel Srougi, professor titular de Urologia da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), em São Paulo, todo homem nasce programado para ter câncer da próstata, pois todos carregam em seu código genético os chamados "proto-oncogenes", que dão a ordem para uma célula normal se transformar em outra maligna. Isto só não ocorre indiscriminadamente porque a função dos proto-oncogenes é antagonizada por outro grupo de genes protetores, chamados de "supressores". Estes genes promovem o suicídio das células toda vez que elas sofrem um processo de degeneração maligna.

O câncer da próstata surge porque as múltiplas divisões celulares, acompanham-se de discreta fragmentação dos cromossomos, que vão se privando de parte do seu material genético. Com o decorrer dos anos acumulam-se perdas dos genes supressores, que libera a atividade dos proto-oncogenes e permite a degeneração das células prostáticas, explica o especialista.

Dentro do prisma genético, alguns fatores de risco devem ser observados: homens com antecedentes familiares de câncer da próstata têm maior chance de desenvolver a doença. Os riscos aumentam 2,2 vezes quando um parente de 1° grau (pai ou irmão) é acometido pelo problema, de 4,9 vezes quando dois parentes de 1° grau são portadores do tumor e de 10,9 vezes quando três parentes de 1° grau têm a doença. Nos casos hereditários, o câncer se manifesta mais precocemente, muitas vezes antes dos 50 anos. Por isto, os homens com história familiar devem realizar exames preventivos a partir dos 40 anos e não dos 50 anos, como se recomenda habitualmente. A hereditariedade do Câncer de Próstata ainda é corroborada pelo fato de que se um gêmeo idêntico tem a doença, o risco de seu irmão também desenvolver a doença é de 27%, enquanto entre gêmeos não-idênticos este risco é de apenas 7%.

O câncer da próstata, visto sob o prisma da genética, pode ser classificado em três grupos: o "hereditário" propriamente dito, condicionado por um gene com transmissão mendeliana. O "familiar", onde não se descobre o gene envolvido ou seus portadores não se encaixam nos requisitos da hereditariedade, mas na família observam-se mais casos do que o comumente observado na população geral. E o "esporádico", onde há casos isolados nas famílias dos portadores.

A divisão do câncer da próstata nestas três categorias não é apenas didática. Esta divisão tem uma implicação médica importante: as famílias onde o gene pode estar presente devem ser orientadas. Os homens destas famílias devem procurar um urologista mais precocemente, a partir dos 45 anos de idade, a fim de serem submetidos a exames de toque retal e PSA no sangue (uma proteína indicativa de câncer). A monitorização destes pacientes deve ser anual. Estas medidas podem diminuir efetivamente a morbi-mortalidade decorrente do câncer da próstata, pois nestes homens a doença, além de incidir com maior freqüência e mais precocemente, tem um comportamento biológico mais agressivo.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.             05 de Novembro de 2002.

Uma dieta melhor e exercícios podem diminuir em um terço o risco de câncer

NEW YORK – O câncer vai atingir um em cada três americanos em algum momento de suas vidas. Mas o número de casos de câncer pode ser diminuído em um terço se os americanos adotarem mudanças simples no estilo de vida, de acordo com uma declaração recente da Associação de Pesquisa de Alimentos e Nutrição (FANSA).

"Em termos de prevenção do câncer, uma dieta saudável e exercícios são tão importantes quanto não fumar," disse o Presidente da FANSA, Dr. Dennis Savaiano em uma declaração.

"Aproximadamente um terço dos casos de câncer são atribuídos ao fumo, um terço à dieta pobre e falta de exercícios, e um terço a fatores genéticos e outros," acrescentou Savaiano, que é também professor de nutrição na Universidade Purdue. "A maioria dos americanos já estão informados a respeito dos efeitos prejudiciais do fumo, mas a dieta pobre é motivo de preocupação. Nós precisamos iniciar mudanças no comportamento agora, para reduzir o número de mortes relacionadas ao câncer nos anos futuros."

Se persistir a tendência atual, a FANSA estima que 170.000 mortes passíveis de prevenção por câncer continuarão a ocorrer a cada ano.

Depois das doenças cardíacas, o câncer é a segunda causa de morte no país, matando mais de 500.000 pessoas por ano. A FANSA pede maior enfoque na prevenção, notando que a maior parte do dinheiro para pesquisas atualmente vai para o tratamento destes doentes.

A organização apresenta quatro "formas simples e relacionadas à dieta" de diminuir o risco. Eles pedem aos americanos que sigam urgentemente estes passos:

  • Comer uma grande variedade de frutas, vegetais, grãos integrais, feijões e legumes, incluindo 3 a 5 porções de vegetais e 2 a 4 porções de frutas por dia. Elas podem ser frescas, congeladas, secas ou cristalizadas.
  • Controle da ingestão de gorduras.
  • Evitar a obesidade melhorando os hábitos alimentares e participando de atividade física regular.
  • Limitar a ingestão de álcool, ou evitá-lo.

Boa dieta e exercícios são preferíveis aos suplementos nutricionais, declara a FANSA, porque "muitas vitaminas minerais e outras substâncias vegetais" nos alimentos, quando combinados com a atividade física, trabalham juntos para proteger as células do câncer, e mesmo talvez reparando algum dano que já tenha sido feito.

Observando que "relativamente poucos" americanos realmente seguem estas recomendações, a FANSA pede que as organizações de alimentação, nutrição, exercícios e saúde estejam atentos à necessidade drástica de mudança destes hábitos. Além disto, a organização pede ao governo federal que "coordene esforços da administração de saúde e da pesquisa básica para liderar a prevenção do câncer através da promoção de práticas saudáveis de alimentação e exercícios."

"Para realizar uma mudança, todas as organizações responsáveis pela alimentação, nutrição, saúde e organizações governamentais devem se esforçar para criar demanda de consumo de um estilo de vida saudável," de acordo com a declaração.

A FANSA é parceira de quatro organizações – A Associação Americana de Dietética, a Sociedade Americana de Nutrição Clínica, a Sociedade Americana de Ciências da Nutrição, e do Instituto de Tecnologia de Alimentos. Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

 

*A imagem ilustrativa foi retirada do site http://www.ambienteemfoco.com.br/?p=1497 através de pesquisa na internet.
 
 

Sobre maryalcantaras

Sou uma pessoa calma e bastante tímida. Não costumo sair muito e por isso vivo na internet. Sou bem eclética em questões referentes a preferências... adoro ler, ouvir música, dançar e tomar umas biritas de vez em quando... mas o que eu adoro mesmo é DORMIR e BEIJAR!!! Meu hobbie é DORMIR. Me interesso por coisas variadas, gosto tanto de coisas simples quanto de coisas rebuscadas. "O Amor conquista-se com Amor e não impondo regras." (A.D.) E talvez tenha de praticar um pouco mais a minha tolerância...
Esse post foi publicado em Datas Comemorativas e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s