Dia de Todos os Santos


Dia de Todos-os-Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A festa do dia de Todos-os-Santos é celebrada em honra de todos os santos e mártires, conhecidos ou não. A Igreja Católica celebra a Festum omnium sanctorum a 1 de novembro seguido do dia dos fiéis defuntos a 2 de novembro. A Igreja Ortodoxa celebra esta festividade no primeiro domingo depois do Pentecostes, fechando a época litúrgica da Páscoa. Na Igreja Luterana o dia é celebrado principalmente para lembrar que todas as pessoas batizadas são santas e também aquelas pessoas que faleceram no ano que passou.

História

O dia de todos os santos com o objetivo de suprir quaisquer faltas dos fiéis em recordar os santos nas celebrações das festas ao longo do ano. Esta tradição de recordar (fazer memória) os santos está na origem da composição do calendário litúrgico, em que constavam inicialmente as datas de aniversário da morte dos cristãos martirizados como testemunho pela sua fé, realizando-se nelas orações, missas e vigílias, habitualmente no mesmo local ou nas imediações de onde foram mortos, como acontecia em redor do Coliseu de Roma. Posteriormente tornou-se habitual erigirem-se igrejas e basílicas dedicadas em sua memória nesses mesmos locais.

O desenvolvimento da celebração conjunta de vários mártires, no mesmo dia e lugar, deveu-se ao facto frequente do martírio de grupos inteiros de cristãos e também devido ao intercâmbio e partilha das festividades entre as dioceses/eparquias por onde tinham passado e se tornaram conhecidos. A partir da perseguição de Diocleciano o número de mártires era tão grande que se tornou impossível designar um dia do ano separado para cada um. O primeiro registo (Século IV) de um dia comum para a celebração de todos eles aconteceu em Antioquia, no domingo seguinte ao de Pentecostes, tradição que se mantém nas igrejas orientais.

Com o avançar do tempo, mais homens e mulheres se sucederam como exemplos de santidade e foram com estas honras reconhecidos e divulgados por todo o mundo. Inicialmente apenas mártires (com a inclusão de São João Baptista), depressa se deu grande relevo a cristãos considerados heróicos nas suas virtudes, apesar de não terem sido mortos. O sentido do martírio que os cristãos respeitam alarga-se ao da entrega de toda a vida a Deus e assim a designação "todos os santos" visa celebrar conjuntamente todos os cristãos que se encontram na glória de Deus, tenham ou não sido canonizados (processo regularizado, iniciado no Século V, para o apuramento da heroicidade de vida cristã de alguém aclamado pelo povo e através do qual pode ser chamado universalmente de beato ou santo, e pelo qual se institui um dia e o tipo e lugar para as celebrações, normalmente com referência especial na missa).

Como alguém se torna santo?

Na sexta-feira, dia 11 de maio, mais de 1 milhão de fiéis acompanharam a missa de canonização de Frei Galvão, no Campo de Marte, zona norte de São Paulo. A missa foi celebrada pelo papa Bento 16, que esteve no Brasil, e que foi saudado pela multidão assim que chegou ao local em seu papamóvel.

Mas, como alguém se torna santo?

Muitas religiões do mundo consideram especiais as pessoas que levam uma vida de virtude quase perfeita. As religiões diferem no título atribuído a essas pessoas. A Igreja Católica chamam essas pessoas de santas. O processo pelo qual uma pessoa se torna santa é chamado de canonização. A Igreja Católica já canonizou aproximadamente 3 mil pessoas (o número exato é desconhecido porque nem todos os santos foram canonizados oficialmente).

De acordo com a Igrela Católica, o papa não torna alguém santo: a designação da santidade somente reconhece o que Deus já fez. Por séculos, os santos foram escolhidos pela opinião pública. No século X, o papa João XV desenvolveu um processo de canonização oficial.

A canonização tem sido revisada nos últimos mil anos, especialmente pelo papa João Paulo II,  falecido em 2005, e que canonizou mais de 280 pessoas desde 1978. João Paulo II fez diversas mudanças no processo de canonização, incluindo a eliminação do "advogado do diabo" no processo de revisão. O "advogado do diabo" era a pessoa designada a atacar a evidência oferecida a favor da canonização.

O processo de se tornar um santo católico é muito longo e geralmente leva décadas ou séculos para ser completo. Recentemente este processo foi revisto em virtudo do movimento para tornar a Madre Tereza uma santa.

Pouco depois de sua morte em 1997, os seguidores de Madre Tereza começaram a pressionar o Vaticano para tirar a regra que proíbe o processo de canonização de ter início antes de 5 anos da morte da pessoa. Essa regra tem sido tradicionalmente usada para permitir um olhar mais objetivo da vida e obra da pessoa. Em 1999, o Papa João Paulo II acabou com a regra dos 5 anos. Aqui estão as etapas a serem seguidas atualmente:

  1. um bispo local investiga a vida da pessoa e seus escritos buscando evidências de virtude heróica. As informações descobertas pelo bispo são mandadas para o Vaticano;
  2. um grupo de teólogos e os cardeais da Congregação pela Causa dos Santos avaliam a vida do candidato;
  3. se aprovado pelo grupo, o Papa proclama que o candidato é venerável, o que significa que a pessoa é um modelo perfeito de virtudes católicas;
  4. a próxima etapa para a santidade é a beatificação. Ela permite que uma pessoa seja honrada por um grupo ou região particular. Para que o candidato seja beatificado, é necessário mostrar que a pessoa é responsável por um milagre póstumo. Os mártires, aqueles que morreram por suas causas religiosas, podem ser beatificados sem evidências de milagres. Em 20 de outubro de 2003, a Madre Tereza foi beatificada.
  5. para o candidato ser considerado um santo, um segundo milagre póstumo deve ser provado. Se houver, a pessoa é canonizada.

Estes milagres alegados devem ser submetidos ao Vaticano para verificação. A Irmã Tereza Benedita da Cruz foi canonizada em 1997 depois que o Vaticano verificou que uma jovem menina, depois de ter tomado 7 doses letais de Tilenol, foi repentinamente curada. A família da menina disse ter rezado para o espírito da Irmã Tereza pedindo ajuda. No caso da Madre Tereza, seus defensores estão dizendo que ela já realizou pelo menos dois milagres póstumos. Em um dos casos, uma mulher quebrou diversas costelas em um acidente de carro, nos Estados Unidos. Segundo os relatos, seus ferimentos foram curados porque ela estava usando um medalhão da Madre Tereza. Outro possível milagre ocorreu quando a Madre Tereza apareceu nos sonhos de uma garota palestina, dizendo que o câncer da garota estava curado.

Assim que alguém se torna santo, sua veneração é recomendada em toda a Igreja Católica. Alguns santos são selecionados como santos protetores, protetores especiais ou guardiões de certas ocupações, doenças, igrejas, países ou causas. Por exemplo, o papa Bento 16 está planejando nomear um santo protetor de usuários de Internet e programas de computação. Diversos santos estão sendo considerados, mas o principal candidato é o Santo Isidoro de Seville, a quem é creditada a redação da primeira enciclopédia do mundo.

No Brasil, já foi canonizada a madre Paulina do Coração Agonizante de Jesus (Santa Paulina). O processo de canonização foi proclamado pelo Papa João Paulo II, no dia 18 de outubro de 1991, em Florianópolis – SC. A canonização aconteceu no dia 19 de maio de 2002, em Roma.

Mas você sabe qual a diferença e semelhança entre beatificação e canonização?

Beatificação é quando o papa declara alguém beato, sendo necessária a comprovação de um milagre, já a canonização é quando o papa declara que um beato é santo, como aconteceu com Santa Paulina (de beata Paulina passou a ser Santa Paulina) e com o Frei Galvão. Santo Antônio de Sant’Anna Galvão ficou popularmente conhecido pelas "pílulas de frei Galvão", que são até hoje distribuídas gratuitamente. Catorze freiras que moram no Mosteiro da Luz, no centro de São Paulo, produzem as pílulas ditas milagrosas, feitas de minúsculos pedaços de papel com a inscrição "Depois do parto permanecestes Virgem, Mãe de Deus, intercedei por nós". Segundo as freiras, um grande número de graças pedidas se refere a problemas por cálculos renais, infertilidade e complicações na gravidez e parto.

Para a canonização, era necessário o reconhecimento pelo Vaticano de mais um milagre, o que aconteceu em dezembro de 2006. O beato teria intercedido para salvar a vida de uma mãe e seu bebê em um parto de alto risco, em 1999, em São Paulo.

Frei Galvão é considerado o primeiro santo genuinamente brasileiro. Madre Paulina, apesar de ter vivido durante muitos anos no Brasil, era italiana.

*As imagens retirei do spaces abaixo através de pesquisa na internet.
 
*As informações sobre o ‘Dia de Todos os Santos‘ retirei do site Wikipédia, a enciclopédia livre da internet.
 
*As informações sobre ‘Como alguém se torna santo?‘ retirei do site abaixo através de pesquisa na internet.

Sobre maryalcantaras

Sou uma pessoa calma e bastante tímida. Não costumo sair muito e por isso vivo na internet. Sou bem eclética em questões referentes a preferências... adoro ler, ouvir música, dançar e tomar umas biritas de vez em quando... mas o que eu adoro mesmo é DORMIR e BEIJAR!!! Meu hobbie é DORMIR. Me interesso por coisas variadas, gosto tanto de coisas simples quanto de coisas rebuscadas. "O Amor conquista-se com Amor e não impondo regras." (A.D.) E talvez tenha de praticar um pouco mais a minha tolerância...
Esse post foi publicado em Datas Comemorativas e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Dia de Todos os Santos

  1. Robalinho disse:

    Hummmm, belas informações. Não conhecia o Frei Galvão!
     
     
    Um abraço
    MRobalinho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s